terça-feira, 19 de setembro de 2017

O cravo brigou com a rosa...

Domingos Gemelli

O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada
O cravo saiu ferido
E a rosa despedaçada

O cravo ficou doente
E a rosa foi visitar
O cravo teve um desmaio
E a rosa pôs-se a chorar

A rosa fez serenata
O cravo foi espiar
E as flores fizeram festa
Porque eles vão se casar

(Cantiga popular)

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Eu desço dessa solidão...

John O'Brien Inman

Eu desço dessa solidão
Espalho coisas
Sobre um chão de giz
Há meros devaneios tolos
A me torturar
Fotografias recortadas
Em jornais de folhas
Amiúde!

(Zé Ramalho, na música Chão de giz)

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A mentira é sonho...

Coubert Gustav

A mentira é sonho lindo
neste meu mundo encantado.
Sonhando, minto dormindo,
mentindo, sonho acordado.

(Sinval Emílio da Cruz)

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Nunca sei como é...

Cornelis Jetses

Nunca sei como é
que se pode achar
um poente triste.
Só se é por um poente
não ter uma madrugada.
Mas se ele é um poente,
como é que ele
havia de ser uma
madrugada?

(Nunca sei, de Alberto Caeiro, pseudônimo de Fernando Pessoa)

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Assim eu quereria...

Lynn Renée Sanguedolce

Assim eu quereria meu último poema
Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais
Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas
Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume
A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos
A paixão dos suicidas que se matam sem explicação.

(O último poema, de Manuel Bandeira)

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Nós vivemos na superfície...

Gunnar Berndtson

“Nós vivemos na superfície, no nível horizontal, e no entanto, — e por isso — nós sonhamos. Animais rasteiros, às vezes chegamos tão longe quanto os deuses. Alguns voam por meio da arte, outros da religião; a maioria do amor. Mas quando voamos, podemos cair. Existem poucos pousos suaves. Podemos nos ver batendo no chão com violência, arrastados na direção de uma estrada de ferro estrangeira. Toda história de amor é uma história de sofrimento em potencial. Se não a princípio, então depois. Se não para um, então para o outro. Às vezes para ambos.”

(Julian Barnes, no livro Altos vôos e quedas livres)

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Todo homem que...

Patrick Desmet (ou De Smet) 

"Todo homem que se vende recebe muito mais do que vale."

(Barão de Itararé)
 

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Dia Internacional da Alfabetização

Joseph Christian Leyendecker

“… acho que a gramática é uma via de acesso à beleza. Quando a gente fala, lê ou escreve, sente se fez ou leu uma frase bonita. Somos capazes de reconhecer uma bela construção ou um belo estilo. Mas, quando sabemos gramática, temos acesso a outra dimensão da beleza da língua. Saber gramática é descascá-la, olhar como ela é feita, vê-la toda nua, de certa forma. E aí é que é maravilhoso. Porque pensamos: ‘Como isto é bem-feito, como é bem elaborado!’, ‘Como é sólido, engenhoso, rico, sutil!’.

(Muriel Barbery, no livro A elegância do ouriço)

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

A voz dos ventos...

Carlos H Sorensen

A voz dos ventos distantes,
dentro das conchas do mar,
são preces de navegantes,
que não puderam voltar.

(Hegel Pontes)

terça-feira, 5 de setembro de 2017

5 de Setembro - Dia do Irmão

Anna Wimbledon

"Seja legal com seus irmãos.
Eles são a melhor ponte com o seu passado.
E, possivelmente, quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro."

(Pedro Bial, em Filtro Solar)

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

O homem que quiser...

Friedrich Adolf Hornemann


"O homem que quiser conduzir a orquestra tem que dar as costas para o público."

(Max Lucado, escritor e pastor estadunidense)

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Você já voltou...

Alexander Deineka

“Você já voltou há um tempo?”, disse Obinze. Estava observando-a de novo e Ifemelu se lembrou de que, antigamente, muitas vezes sentia que ele podia ler sua mente, que sabia coisas sobre ela que ela própria podia não saber de forma consciente.
“Sim”, disse Ifemelu.
“Então você veio aqui comprar o quê?”
“O quê?”
“Que livro você queria comprar?”
“Na verdade, eu só queria encontrar você aqui. Achei que, se ver você de novo acabasse sendo algo de que eu quisesse me lembrar, então queria me lembrar de ter sido na Jazzhole.”
“Então queria se lembrar de ter sido na Jazzhole”, repetiu ele, sorrindo, como se apenas Ifemelu pudesse ter inventado aquela expressão. “Você continua honesta, Ifem. Graças a Deus.”
“Já acho que vou querer me lembrar disso.” O nervosismo dela estava se dissipando; eles haviam passado depressa pelos momentos de constrangimento necessários.
“Você precisa ir para algum lugar agora?”, perguntou Obinze. “Pode ficar um pouco?” “Posso.”
Ele desligou os dois celulares. Era uma declaração rara, numa cidade como Lagos, para um homem como ele, dar-lhe sua total atenção.

(Chimamanda Ngozi Adichie, no livro Americanah)

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Ninguém, ninguém verá...

Carl Larsson

Ninguém, ninguém verá o que eu sonhei
Só você meu amor
Ninguém verá o sonho que eu sonhei
Um sorriso quando acordar
Pintado pelo sol nascente
Eu vou te procurar
Na luz de cada olhar mais diferente
Tua chama me ilumina
Me faz virar um astro incandescente
Teu amor faz cometer loucuras
Faz mais, depois faz acordar chorando
Pra fazer e acontecer
Verdades e mentiras
Faz crer, faz desacreditar de tudo
E depois depois do amor
Amor, amor

(Geraldo Azevedo, na música Quando fevereiro chegar)

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Vive a vida o mais intensamente...

Anita Klein

“Vive a vida o mais intensamente que puderes. Escreve essa intensidade o mais calmamente que puderes. E ela será ainda mais intensa no absoluto do imaginário de quem te lê.”

(Vergílio António Ferreira, escritor português)

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Não morre aquele que...

Henriette Browne

“Não morre aquele que deixou na Terra a melodia de seu cântico na música de seus versos.”

(Cora Coralina, poetisa brasileira)

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Quem não chora dali...

John Gannam

Quem não chora dali
Não mama daqui
Diz o ditado
Quem pode, pode
Deixa os acomodados
Que se incomodem

Minha saúde não é de ferro não
Mas meus nervos são de aço
Pra pedir silêncio eu berro
Pra fazer barulho
Eu mesma faço
Ou não!

(Rita Lee, em Jardins da Babilônia)

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Tornou-se um homem sem...

Ramos Cortés

“Tornou-se um homem sem memória, sem consciência de lugar e tempo. Um homem que apenas é o que não deveria ter sido, restos rebeldes de um desejo obstinado. Nada do que era, do que pensava ser, existe mais. O que vive nele é um miserável restolho de desejo que algum dia não deve ter sido saciado.”

(Arnon Grunberg, no livro Tirza)

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Bons livros...

Adolfo Fonzari

“Bons livros, como bons amigos, são poucos e escolhidos; quanto mais selecionados, mais apreciados.”

(Louisa May Alcott, escritora estadunidense)

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Ele se virou para ela...

Mauro Ferreira

“Ele se virou para ela e disse “Até que enfim” quando o trem finalmente chegou rangendo, com aquela familiaridade que os estranhos adotam uns com os outros depois de compartilhar a decepção por um serviço público.”

(Chimamanda Ngozi Adichie, no livro Americanah)

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Na hierarquia dos valores...

Robert Montgomery Bird


“Na hierarquia dos valores políticos, o bem do povo é inferior ao exercício do poder.”

(Rubem Alves, no livro Pimentas)

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Uma mulher quando bebe...

K. Madison Moore
homenagem a tela de Fernand Léger

“Uma mulher quando bebe perde as censuras. Fala o que não deve, fala o que sente, assim como é a na velhice. A velhice potencializa a honestidade. Faz sentido. Uma mulher bêbada é uma idosa sóbria. Pois o idoso não espera o melhor momento para derramar a verdade em sua cara, ele cria o momento, impõe a sua opinião. Tanto o velho como a criança são cruéis em sua sinceridade e não tem como controlá-los.”

(Fabrício Carpinejar, jornalista e escritor brasileiro)

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Há mais tesouros nos livros...

Ciro d'Alessio

“Há mais tesouros nos livros do que nas pilhas saqueadas pelos piratas na Ilha do Tesouro.”

(Walt Disney, criador de arte e empresário estadunidense)

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Os livros servem para mostrar...

Henri Matisse

“Os livros servem para mostrar a um homem que os pensamentos originais que teve não são, afinal de contas, tão novos.”

(Abraham Lincoln, ex-presidente dos Estados Unidos)

Ocorreu um erro neste gadget