domingo, 23 de abril de 2017

23 de Abril - Dia Mundial do Livro

Camille Engel

Nos momentos de alegria,
Ou nas horas de aflição,
O livro é um companheiro,
É um amigo, um irmão.

(Walter Nieble de Freitas)

sábado, 22 de abril de 2017

22 de Abril - Descobrimento do Brasil


“Às vezes, estudando as gentes de Santa Fé, comparando-as com as outras pessoas que conhecera em outros recantos da Província, estendendo o olhar para os horizontes que por assim dizer cercavam aquelas vastas campinas em derredor do povoado, o pe. Lara ficava a pensar no que seria aquela população dali a cem anos... A vida para ele não era fácil nem agradável, por causa da asma, mas gostaria de poder durar tanto como Matusalém para ver que resultado teria aquela mistura de raças que se estava processando na Província de São Pedro. Sabia que era uma espécie de tradição entre os Amarais fazer filhos nas escravas, produzir mulatos e mulatas, que por sua vez depois se cruzavam com brancos, índios ou pretos. Os brancos gostavam muito das índias. O padre ouvira dizer que as mulheres índias se entregavam aos índios por obrigação, aos brancos por interesse e aos negros por prazer. Agora — refletia ele — aquele moço de sangue açoriano ia casar-se com a filha de Joca Rodrigues, que era um paulista neto de portugueses do Minho. Fazia já mais de quatro anos que tinham chegado à Feitoria do Linho-Cânhamo, às margens do rio dos Sinos, centenas e centenas de colonos alemães. No futuro os filhos desses imigrantes haveriam de fatalmente casar-se com as gentes da terra e o sangue alemão se misturaria com o português, o índio e o negro. Para produzir... o quê?”

(Érico Veríssimo, no livro Um certo capitão Rodrigo)

Paparazzo: celebridades e livros

Oscar Niemeyer

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Brasília - 57 anos

Márcio Shiaz

“Vocês vão ver os palácios de Brasília, deles podem gostar ou não, mas nunca dizer terem visto antes coisa parecida.”

(Oscar Niemeyer, arquiteto brasileiro)

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Pensei no tempo...

Heinrich Lossow

Pensei no tempo e era tempo demais
Você olhou sorrindo pra mim
Me acenou um beijo de paz
Virou minha cabeça

Eu simplesmente não consigo parar
Lá fora o dia já clareou
Mas se você quiser transformar
O ribeirão em braço de mar

Você vai ter que encontrar
Onde nasce a fonte do ser
E perceber meu coração
Bater mais forte só por você
O mundo lá sempre a rodar
E em cima dele tudo vale
Quem sabe isso quer dizer amor
Estrada de fazer o sonho acontecer

(Quem sabe isso quer dizer amor, de Márcio Borges, por Milton Nascimento)

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Imagino que, um dia...

Félix Vallotton

“Imagino que, um dia, quando fugir de tudo, vou viver lá”, disse Obinze.
“As pessoas realmente se tornam excêntricas quando ficam ricas.”
“Ou talvez todos nós sejamos excêntricos, só que não temos dinheiro para mostrar. Eu adoraria levar você para ver a casa.”
Ifemelu murmurou algo, uma vaga aquiescência.

(Chimamanda Ngozi Adichie, no livro Americanah)

terça-feira, 18 de abril de 2017

18 de Abril - Dia do Amigo (Brasil - não oficial)

Diego Rivera

“Um amigo me chamou para cuidar da dor dele. Guardei a minha no bolso e fui.”

(Clarice Lispector, escritora brasileira)

Dia Nacional do Livro e da Literatura Infantis


“Antes de entender de palavras, minha cabeça já transava imagens.”

(Ziraldo, escritor de livros infantis)

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O dia amanheceu chovendo...

Edward Hopper

O dia amanheceu chovendo e a saudade me contém
O céu já tá estrelado e tá cansado de zelar pelo meu bem
Vem logo que esse trem já tá na hora, tá na hora de partir
E eu já tô molhado, tô molhado de esperar você aqui

(Outra vez, de Elder Costa, por Milton Nascimento)

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Barbara Longhi


Dia Internacional do Café

Stewart Sherwood


Sabor de antigamente, sabor de família.
Café que foi torrado em casa,
Que foi feito no fogão de casa, com lenha do mato de casa.

Café para as visitas de cerimônia,
Café para as visitas de intimidade,
Café para os desconhecidos, para os que pedem pousada,
para toda gente.

Café para de manhã, para de tardinha, para de noite,
Café para todas as horas do riso e da pena,
Café para as mãos leais e os corações abertos,
Café com franqueza inefável,
Riqueza de todos os lares pobres,
Na luz hospitaleira do Brasil.

(Ribeiro Couto, em Café)

quinta-feira, 13 de abril de 2017

13 de Abril - Dia Internacional do Beijo

John La Gatta


O beijo é flor no canteiro ou desejo na boca?
Tanto beijo nascendo e colhido na calma do jardim nenhum beijo beijado (como beijar o beijo?) na boca das meninas e é lá que eles estão suspensos invisíveis.

(Beijo-flor, de Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Ela me amou...

Ira Tsantekidou


"Ela me amou durante 10 meses e 11 contos de réis."

(Machado de Assis, no livro "Memórias Póstumas de Brás Cubas")

terça-feira, 11 de abril de 2017

O que procuramos na literatura...

Francine Van Hove

“O que procuramos na literatura é um estremecimento na espinha dorsal.”

(Vladimir Nabokov, escritor russo)

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Ignorância é não saber...

Gustave Courbet

“Ignorância é não saber de algo; estupidez é não admitir sua ignorância.”

(Daniel Turov, consultor financeiro e investidor estadunidense)

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Ler fornece ao espírito...

André Maire

“Ler fornece ao espírito materiais para o conhecimento, mas só o pensar faz nosso o que lemos.”

(John Locke, filósofo inglês)

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Nosso ninho, bem tecido...

Daniele Akmen

Nosso ninho, bem tecido,
com fios de lealdade,
sempre estará protegido
contra chuva e tempestade.

(José Lucas de Barros)

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Sempre fico fascinado...

Fernando Corrêa e Castro

“Sempre fico fascinado por casas antigas e as histórias que trazem.” Obinze puxou a grade de metal da varanda, como se quisesse verificar quão durável era, quão segura, e Ifemelu gostou de ele ter feito isso. “Alguém vai comprá-la em breve, demoli-la e construir um prédio cheio de apartamentos de luxo caros demais.”
“Alguém como você.”
“Quando comecei a trabalhar no setor imobiliário, pensei na hipótese de reformar casas velhas em vez de demoli-las, mas não fazia sentido. Os nigerianos não compram casas porque elas são antigas. Como um celeiro de moinho reformado de duzentos anos, sabe, o tipo de coisa da qual os europeus gostam. Isso não funciona aqui de jeito nenhum. Mas é claro que isso faz sentido, porque somos do Terceiro Mundo, e pessoas do Terceiro Mundo olham para a frente, nós gostamos que as coisas sejam novas, porque o que temos de melhor ainda está por vir, enquanto no Ocidente o melhor já passou, então eles têm de transformar esse passado num fetiche.”

(Chimamanda Ngozi Adichie, no livro Americanah)

terça-feira, 4 de abril de 2017

Os livros são os mais quietos...

Agnes Goodsir

“Os livros são os mais quietos e constantes amigos; eles são os mais acessíveis e os mais sábios conselheiros, e os mais pacientes dos professores.”

(Charles W. Eliot, escritor estadunidense)

segunda-feira, 3 de abril de 2017

A sabedoria não se transmite...


“A sabedoria não se transmite, é preciso que nós a descubramos fazendo uma caminhada que ninguém pode fazer em nosso lugar e que ninguém nos pode evitar, porque a sabedoria é uma maneira de ver as coisas.”

(Marcel Proust, escritor francês)

sábado, 1 de abril de 2017

Paparazzo: celebridades e livros

Pinóquio

01/04 - Dia da Mentira


Viva o Brasil
Onde o ano inteiro
É primeiro de abril

(Millôr Fernandes)

sexta-feira, 31 de março de 2017

Ifemelu pousou a cabeça...

Karen Cooper

“Ifemelu pousou a cabeça contra a de Obinze e sentiu, pela primeira vez, o que sentiria em muitas outras ocasiões com ele: uma autoafeição. Ele fazia com que ela gostasse de si mesma. Com Obinze, Ifemelu se sentia confortável; era como se sua pele fosse do tamanho certo. Contou a ele como queria muito que Deus existisse, mas temia que não existisse, como se preocupava com o fato de que devia saber o que queria fazer da vida, mas nem sabia o que queria fazer na faculdade. Parecia tão natural conversar com ele sobre o que lhe viesse à cabeça. Ifemelu nunca tinha feito isso antes. A confiança tão súbita, mas tão completa, e a intimidade a assustavam.”

(Chimamanda Ngozi Adichie, no livro Americanah)

quinta-feira, 30 de março de 2017

Aqui o vento deposita...

Georges Wambach
(Praia de Itapuã)

“Aqui o vento deposita diária colheita de areia, a mais alva, a mais fina, escolhida a propósito para formar a praia singular de Mangue Seco, sem comparação com nenhuma outra, aqui onde a Bahia nasce na convulsa conjunção do rio Real com o oceano.”

(Jorge Amado, em Tieta do Agreste)

quarta-feira, 29 de março de 2017

Aniversário de Salvador - 468 anos

Jayme Horta
(Igreja do Rosário dos Pretos, Pelourinho)



Salvador, Bahia
Território africano
Baiano sou eu, é você, somos nós uma voz de tambor
Oxente
'Cê num' tá vendo que a gente é nordeste
Cabra da peste, sai daí batucador quem foi seu mestre
Capoeira

Se plante, lá vem rasteira, pé de ladeira
Preciso da fé no Senhor do Bonfim
Pra mim, pra você, pra mim

Um chinelo de couro
Uma bata, uma benção, mais cinquenta centavos de som
Aumenta o som!

Africa Iô iô
Salvador, minha cor
A raiz de todo bem de tanta fé
Do canto o Candomblé

(Saulo Fernandes, na música Raiz de Todo Bem)

terça-feira, 28 de março de 2017

Gosto desse momento...

Karin Wells

“Gosto desse momento em particular, quando o mundo parece suspender seu curso, enquanto faz sua escolha entre a luz do dia nascente e a escuridão da noite que morre. Digo a mim mesma que talvez um dia a Terra não vai retomar sua rotação e se imobilizará para sempre enquanto a noite e o dia se instalarão, cada um deles em sua respectiva posição, mergulhando-nos numa aurora permanente. Digo a mim mesma, então, que, banhadas nessa luz crepuscular que dá um tom pastel a tudo, as guerras serão talvez menos horríveis; as fomes, menos insuportáveis; a paz, mais durável; as manhãs em que se dorme até tarde, mais insípidas; as noitadas, mais longas. E só o branco das minhas cerâmicas não mudará, seu brilho será conservado sob a luz fria dos néons.”

(Jean-Paul Didierlaurent, no livro O leitor do trem das 6h27)

segunda-feira, 27 de março de 2017

Enquanto o dia nascente...

Shane Sutton

“Enquanto o dia nascente se chocava contra os vidros embaçados, o texto vertia de sua boca num longo filete de sílabas, entrecortado aqui e ali de silêncios nos quais se precipitava o barulho do trem em movimento. Para todos os passageiros presentes na composição, ele era o leitor, um sujeito estranho que, todos os dias de semana, lia em voz alta e inteligível as poucas páginas retiradas de sua bolsa. Eram fragmentos de livros sem qualquer relação uns com os outros. O trecho de uma receita podia estar ao lado da página quarenta e oito do último vencedor do Goncourt, um parágrafo de romance policial podia seguir-se a uma página de um livro de história. Para Guylain, pouco importava o conteúdo. Só o ato de ler tinha importância a seus olhos. Ele expelia todos os textos com a mesma dedicação obstinada. E, a cada vez, a magia se operava. As palavras, ao sair de seus lábios, levavam com elas um pouco da náusea que o sufocava ao se aproximar da usina.”

(Jean-Paul Didierlaurent, no livro O leitor do trem das 6h27)

sexta-feira, 24 de março de 2017

Parece o teu coração...

Edward B. Gordon

Parece o teu coração
com plataforma de trem,
que mal despede os que vão
para abrigar os que vêm.

(Roberto Medeiros)

quinta-feira, 23 de março de 2017

Dia do Contador de Histórias


“Naquele tempo descobri que todo mundo gosta que alguém conte histórias. Todos querem sair da realidade um momento e viver esses mundos de ficção dos filmes, das radionovelas, dos romances. Gostam até que alguém lhes conte mentiras, se essas mentiras forem bem contadas. Essa é a razão do êxito dos embusteiros de fala hábil.”

(Hernán Letelier, no livro A contadora de filmes)

quarta-feira, 22 de março de 2017

Penso que todo mundo já chegou...



“Penso que todo mundo já chegou a ter essa sensação: quando você se dá conta de que irá morrer algum dia e que não vai dar tempo de ver aquele total de séries e filmes que gostaria. Ou, pior, quando você faz as contas do número de livros que é possível ler em uma vida inteira. Caso você leia pelo menos um livro por semana — o que é muito —, você faz 48 leituras por ano. Considerando que você viva até os 90 anos, mas tenha começado a ler semanalmente aos 15, a estimativa é que consiga ler somente 3.500 livros antes de morrer. Três mil e quinhentos! É angustiante. Não bastassem todos os clássicos do cinema e da literatura que vale a pena conhecer, novos filmes, livros e séries são lançados aos montes a cada ano.”

(Raphael Montes, escritor brasileiro)

terça-feira, 21 de março de 2017

Outono Sul - Primavera Norte

Harold Altman


“Abril nunca significou grande coisa para mim; já o outono, sim, parece ser a estação dos recomeços, a primavera; é exatamente assim que me sentia, sentado com Holly no parapeito da garagem de barcos. Pensei no futuro e falei do passado. Pois Holly queria saber da minha infância."

(Truman Capote, no livro Bonequinha de Luxo)


O marco inicial do outono é o belo momento do Equinócio de Outono, quando o dia e a noite duram o mesmo tempo: 12 horas. A grande maravilha da natureza é que nesse dia o mundo inteiro tem o mesmo tempo de sol e de lua, total igualdade e equilíbrio, pois, no hemisfério oposto, o Solstício de Primavera produz o mesmo fenômeno.
Como escreveu o grande Victor Hugo, mestre francês da literatura mundial: “Deus é o invisível evidente".
Portanto, feliz outono para o hemisfério sul e feliz primavera para o hemisfério norte!

21 de Março - Dia Mundial da Poesia

Arvid Frederick Nyholm


Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço…
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz…

(Miguel Torga, em Um poema, Diário XIII)
Ocorreu um erro neste gadget