quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Exige-se longo tempo...

Anita Fraga

“Exige-se longo tempo e paciência para enterrar uma ausência. Aquele que se foi ocupa todos os vazios. Como água, também a ausência não permite o vácuo. Ela se instala mesmo entre as pausas das palavras. Na morte, a ausência ganha mais presença. É substantivo e concreto tudo aquilo que permanece. Daí, os mortos passearem entre nós. Jamais imaginei seu espírito transfigurado em fruto.”

(Bartolomeu Queirós, no livro Vermelho amargo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget