quinta-feira, 26 de maio de 2016

Coração, ave sem penas...


Coração, ave sem penas,
às penas do amor sujeito,
não sei se vives ou penas
na gaiola do meu peito.

(Athayr Cagnin)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget