quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Orvalha, e da flor molhada...

Benedito Luizi

Orvalha, e da flor molhada
brota uma lágrima, e corre.
– Silêncio!, que a madrugada
pranteia a noite que morre…

(Elton Carvalho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget