quarta-feira, 27 de julho de 2016

Eu, me debruçando, consegui ver...

Jacqueline Osborn

“Eu, me debruçando, consegui ver o seu perfil. Laurent tem um nariz muito reto, uma boca bem delineada e, naquele dia, não havia feito a barba. Também tem uns olhos doces, quase um pouco tristes, e que de repente começaram a se estreitar e a se tornar sorridentes quando o garçom fez uma brincadeira que eu não consegui ouvir. Sempre gostei dos homens cujos olhos passam, em poucos segundos, da melancolia à cumplicidade. Xavier era assim, meu pai também.”

(Antoine Laurain, no livro A caderneta vermelha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget