terça-feira, 9 de agosto de 2016

Longe de ti, meu amor...

Di Cavalcante

Longe de ti, meu amor,
morro de tédio e de mágoa,
bem como morre uma flor
posta num vaso sem água.

(Antônio Sales)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget