quinta-feira, 25 de maio de 2017

Um barco sem porto...

Hugo Pratt

Um barco sem porto
Sem rumo, sem vela
Cavalo sem sela
Um bicho solto
Um cão sem dono
Um menino, um bandido
Às vezes me preservo
Noutras, suicido!

(Flor da pele, de Zeca Baleiro)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget